segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Closed - New Campaign

http://vid1.dazeddigital.com/player-licensed.swf" style="visibility: visible">

quarta-feira, 20 de julho de 2011

35º Frame Line - San Francisco International LGBT Film Festival





Durante 11 dias a 35º edição do Frameline, Festival Internacional de Cinema LGBT de São Francisco, promete mostrar ao público um pouco do que o cinema LGBT mundial tem produzido. a mostra já está acabando e deixando grandes obras para o cinema LGBt.






Com uma programação de mais de 200 obras, entre elas longa-metragens, curtas, documentários e demais expressões artísticas, aproximadamente mais de 30 países participam  da mostra, e entre eles já chamam a atenção produções da Africa do Sul, Iran, Belgica, Argelia e Tailândia.

Algumas produções já foram exibidas em outras grandes festivais de cinema LGBT neste ano, então, ébacana ficar de olho nos destaques, pois com certeza veremos uma ou outra este ano no Mix Brasil, o nosso festival de Cinema e Vídeo da Diversidade Cultural.






Veja alguns destaques do evento: 

East Bloc Love 
Documentário Australiano filmado por  Logan Mucha.


East Bloc Love Trailer from Logan Mucha on Vimeo.


Becoming Chaz
Dirigido e produzido por Randy Barbato & Fenton Bailey.



Gun Hill Road 
Dirigido por Rashaad Ernesto Green e estrelado por Isiah Whitlock Jr., Judy Reyes e Esai Morales.



Mangus!
Dirigido por Ash Christian e estrelado por Jennifer Coolidge, Leslie Jordan e Heather Matarazzo.



Codependent Lesbian Space Alien Seeks Same
Escrito e dirigido por Madeleine Olnek, estrelando por Lisa Haas, Susan Ziegler e Jackie Monahan.



August
Dirigido por Eldar Rapaport e estrelado por Murray Bartlett, Daniel Dugan, Adrian Gonzalez e Hillary Banks.



Christopher and His Kind
Produzido e exibido pela BBC

terça-feira, 12 de julho de 2011

Está dada a largada.

Com as mudanças que o cenário ativista LGBT vem observando ( e conquistando, apesar de alguns percausos e desapontamentos desnecessários referente a alguns que dizem estar ao lado da causa e na verdade só querem ibope)e algumas mudanças de comportamento da sociedade perante a questão "GAY", observados no aumento de matérias, seriados e novelas que estão tratando da questão homossexual com mais seriedade, respeito e quem sabe chegando próximo a naturalidade que este assunto deve ser tratado, o casamento gay, como quase todos sabem, conquistou um "pequeno" passo extremamente importante para os direitos LGBTs.

Obviamente com esta conquista o mercado começa a se voltar ao mais novo nicho mercadológico LGBT, tão novo que é bom que profissionais realmente se preparem para atender aos casais que realmente desejam unir de vez as escovas de dente com direito a festa e tudo que temos direito.





É um processo natural, com a legalização (parcial digamos) do casamento gay egências e demais "negócios" começarão a desenvolver serviços e produtos para atender a esta nova demanda, e claro serão poucos os corajosos a iniciarem este processo. Azar de quem não começar é claro.

Somente com o tempo que saberemos como o brasileiro se comportam com um evento como este, e claro, somente com o tempo saberemos como o consumidor gay deseja se casar.

Como este nicho é novo, serão necessários algumas pesquisas para saber as preferências do consumidor brasileiro gay ao elaborar uma festa de casamento e etc, afinal de contas, não podemos nos enganar e copiar nossos vizinhos Norte Americanos, como alguns fazem em outros nichos mercadologicos.




Somos muito diferentes e com hábitos comportamentais completamente diferentes. Ainda somos uma cultura regida por padrões machistas, patriarcais, e isso dita algumas regras comportamentais mesmo em indivíduos assumidos sexualmente.



De qualquer forma, estamos caminhando aos poucos para o crescimento do mercado LGBT e seu amadurecimento. Para os percursores, como por exemplo um grupo de empresarios da área de eventos que criaram a primeira mostra de serviços para casamentos homoafetivos através da feira Open Wedding que acontecerá nos dias 27 e 28 de julho em São Paulo, parabéns e bons negócios.



 

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Boys Be Good & David Wojnarowicz


"Boys Be Good" é um coletivo de arte formado por seis jovens Americanos atualmente residentes no distrito de Washington. O coletivo surgiu em resposta a censura que o artista David Wojnarowicz; que contem em seus trabalhos forte expressão homoerótica e política; sofreu em dezembro do ano passado devido seu último trabalho intitulado "Fire in My Belly" que foi proibido pelo intituto Smithsonian de ser exibido no Metropolitan Museum of Art na exibição Hide/Seek.

Através de uma série de investigações sobre eventos do cotidiano, estudo sobre momentos e pensamentos e biografias "queers" esses meninos esperam desafiar os estereotipos da "arte homossexual" e explorar o impacto que a arte e a cultura gay tem sobre a sociedade encorajando mudanças sobre a mesma.

O Coletivo "Boys Be Good" está atualmente recolhendo submissões de trabalhos artísticos para formar um catálogo que irá acompanhar a primeira exibição do grupo que faz parte do projeto "THE METASCHEMATIZONS" que ocorrerá em Julho deste ano. O intuito é buscar por imagens e textos criativos referentes a homocultura, transformações e seus efeitos sobre identidades, comunidade e senso de espaço. O projeto procura por trabalhos que sejam apresentados de maneira diferente, em materiais não convencionais para publicação.






Se você, caro leitor, se identificou de alguma forma com o trabalho deste coletivo, entre em contato e mande sua arte. É possível obter mais informações no site oficial do coletivo, http://www.boysbegood.com/, e do email THEBOYS@BOYSBEGOOD.COM.

Entre também na página do evento no facebook aqui, no perfil do coletivo na mesma mídia aqui e fique por dentro do que eles estão fazendo.
 ______________________________________________________________________________

Abaixo o video do artista David Wojnarowicz, chamado "Fire in My Belly", que foi proibido de ser exibido na mostra Hide/Seek do Metropolitan Museum of Art. Em seguida um video com a manifestação em frente ao museo, mostrando o quão indignadas as pessoas ficam quando manisfestções culturais são vetadas por intituições que acreditam "saber" o que vem a ser "bom" e "ter" o poder de mascarar verdades ditas através da arte e de suas manifestações. Logo após confira outros vídeos do artista que mostra um pouco através da arte o que é a homocultura e seus diversos lados.

Protesto no Metropolitan Museum of Art



"Fire in My Belly" by David Wojnarowicz




ITSOFOMO - David Wojnarowicz/Ben Neill - excerpt



David Wojnarowicz - Part 1



David Wojnarowicz - Part 3



David Wojnarowicz - Part 4

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails